sábado, 22 de abril de 2017

Resenha - Corte de Espinhos e Rosas - Sarah J. Maas

Corte de Espinhos e Rosas Sarah J. Maas
Sinopse: Em Corte de espinhos e rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados.




Titulo: Corte de Espinhos e Rosas
Escritora(0): Sarah J. Maas
N° de Páginas: 404
Editora : Galera Record




Bem eu amei de todo o coração Corte de Espinhos e Rosas, após minha amiga me falar tão bem desse livro não poderia ignorar os apelos dela e ler. Li até mais rápido do que imagina e Feyre fez do meu coração morada e ela não pretende sair.

Feyre é a filha mais nova de um comerciante falido e que aprendeu a caçar porque era o único jeito de ajudar a sua família e alimenta-lá. Feyre só tinha um desejo, que a suas irmãs mais velhas se casassem para não ser mais um fardo para ela e então só teria ela e o seu pai para alimentar e teria mais tempo também para aperfeiçoar sua técnica na pintura - não que ela odiasse as suas irmãs, mas era ela quem mantinha a família alimentada e ela não gostava de caçar, não sempre como ela tinha que fazer porque era muita boca para alimentar-. Certo dia quando saiu para caçar matou um lobo, que na verdade era um Feérico e com isso ela teria que enfrentar uma consequência.

"— Disposta a aceitar seu destino tão facilmente? — Quando eu apenas o encarei, o feérico disse: — Por ter a coragem de sugerir onde eu deveria matar você, vou lhe contar um segredo, humana: Prythian deve reclamar sua vida de alguma forma pela vida que lhe tirou. Então, como representante do reino imortal, posso estripá-la como um suíno ou... você pode atravessar a muralha e passar os restos de seus dias em Prythian."
De fato Feyre não queria aceitar, preferia morrer do que morar com uma fera bestial. Com a suplica do seu pai Feyre embarca no seu destino. Ela nunca imaginou o que esperava, Tamlin - a fera a qual a tirou da família- não queria escravizá-lá, ela poderia viver em qualquer lugar de Prythian e só não poderia cruzar a muralha se não ela e a família morreriam.
Feyre se manteve firme e não conseguia acreditar que teria que passar sua vida toda com os feéricos enquanto sua família morreria sem ela. Sempre querendo revidar tudo o que Tamlin e seu amigo Lucien  falavam, sempre teimosa - o que eu mais adorei sobre ela-

"Lucien falou: — Verdade. Mas permita-me: é uma fêmea humana, mas prefere comer carvão quente a se sentar aqui mais que o necessário. Ignorando isto — ele gesticulou para o olho de metal e para a cicatriz brutal no rosto —, não somos tão horríveis de se ver. — Vaidade e arrogância típicas de feéricos. Sobre isso ao menos as lendas estavam certas. Guardei essa informação para o futuro."
Com o passar do tempo Feyre vai aceitando o que estava acontecendo e começando a enxerga que era ali que passaria sua vida humana. Ela começou a ver amizade em Lucien e uma crescente coisa por Tamlin, Tamlin que desde que ela chegou vem sempre sendo gentil  e quem a ajudou por vezes.

— Por que... por que fazer isso? Tamlin se aproximou, tanto que precisei inclinar a cabeça para trás para vê-lo. — Por que sua alegria humana me fascina, o modo como vivência as coisas em sua curta existência, tão selvagem e intensamente e tudo de uma vez, é... hipnotizante. Sou atraído por isso, mesmo quando sei que não deveria, mesmo quando tento não ser.
Embora a sua vida estivesse começando a andar, ainda tinha um problema instalado em Prythian, uma praga que estava começando lentamente a se movimentar e a enfraquecer a magia dos feéricos e que ameaçava passar a muralha e ir para o lado dos humanos, da sua família. Feyre teria uma grande decisão a tomar e varias segredos para descobrir.

— Você poderia simplesmente ter ocupado uma cadeira mais próxima — falei. Tamlin me deu um sorriso preguiçoso. — E perder a chance de me exibir para uma linda mulher? Nunca. Sorri para meu prato. — Você está linda — disse ele, baixinho. — É sério — acrescentou Tamlin, quando minha boca se contorceu para o lado. — Não se olhou no espelho?

Esses dois me fez derreter muito, eu adoro o Tamlin e como ele não tem jeito para lidar com as pessoas e como ele tenta ser gentil com a Feyre e mostrar que ele não é essa besta cruel que conta as historias da sua aldeia. Lucien me fez feliz também, os diálogos dele com a Feyre sempre me fazem ri e adorei ver o nascimento da amizade deles.

— Amo você — sussurrou ele, e beijou minha testa. — Com espinhos e tudo. -essa é umas das minhas partes favoritas desse livro-
Eu não posso nem começar a descrever o que eu sinto pela Feyre, no momento que eu percebi que ela era o tipo de garota que ia a luta e que gostava de fazer as coisas por ela mesma e não ficar esperando, eu a amei e foi a a parti daí que eu sabia que ela se juntaria a minha lista de personagens femininas favorita e de inspiração. Outros personagens me chamaram muito atenção e que quero muito que apareça no segundo livro e que tenha uma participação maior, Rhysand eu estou falando de você, eu o adorei e ele fez meu coração pulsar mais que o Tamlin, ok de primeira eu o odiei, mas agora não tem quem faça lhe tirar da minha cabeça.
— Porque — continuou Rhysand, os olhos fixos em mim — eu não queria que você lutasse sozinha. Ou que morresse sozinha.- e essa foi outra das minhas partes favoritas desse livro.


XOXO 

6 comentários:

  1. Oi Linda, tudo bem???
    Nossa estou lendo este livro atualmente... ainda não sei o que sentir, porque estou no comecinho ainda e não sou acostumada a ler livros desta temática, mas a minha curiosidade foi maior que tudo, então estou lendo... Sempre vejo elogios a obra e todos sempre dizem que eu vou amar... não quero ficar pensando muito para não me frustrar tentando encontrar essa coisa fabulosa que tem na história. De qualquer forma, foi muito bom ler a sua resenha. Xero!

    minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina eu ainda não consegui ler nenhum livro depois de Corte porque estou tão ansiosa pro terceiro que entrei em uma ressaca enorme, mas esse livro é tão bom, os personagens melhores ainda.
      Beijos!!!!

      Excluir

  2. Ótima resenha!

    Beijos;
    Jesse Lira | www.jesselira.com.br

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz em ver essa resenha de algum outro livro da Sarah. Estou lendo a série Trono de Vidro da mesma autora, já ouviu falar? Celaena também é uma personagem como a Feyre que você descreveu. Recomendo muito! Já vou adicionar Corte de Espinhos e Rosas na lista!

    Beijos,
    ahamare.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tudo bem? Obrigada que bom que gostou, eu amo Trono de Vidro... Li faz um tempo e me apaixonei pela Celaena .
      Beijos

      Excluir

-Olá, Bem Vindos ao Mundo Infinito
-Podem ficar a vontade para comentar a sua opinião pessoal que vou adorar.
-Podem deixar o link do seu blog que farei com muito prazer uma visita.
-Obrigado por passarem por aqui, é muito importante e me me deixa muito feliz.
XOXO